Minha saga com cabelo roxo.

Leia mais

Ideias de cofrinhos para guardar dinheiro!

Leia mais

O que aprendi como Blogueira.

Leia mais

27 novembro 2015

O êxtase do primeiro beijo.


Ora, como começar a descrever aquilo que de mais bonito me aconteceu nos últimos anos? Talvez, meras palavras não fossem o bastante, o que descreve tal ocorrência estava estampada no peito, no pulsar das veias.Estava lá, no mesmo local de sempre,  era até corriqueiro o momento, até que o vi. Céus, ele me lembra Capitu com aqueles olhos de ressaca, dissimulados, penetrantes, quase faceiros, porém providos de uma inocência. Cabelos ralos, de estradas tortuosas que deixam sua testa nua, pele aveludada com bochechas coradas como maçãs, pele esta que vem acompanhada de barba que toma seu queixo de um tom azulado.

Os lábios, estes merecem um parágrafo só para si, uma atenção especial. São bem desenhados, vermelhos, rubros como sangue, e carnudos. Só ao descrevê-los consigo com tamanha exatidão imaginá-los e são estes, estes lábios que me tocaram.
Ele vinha com um andar faceiro, carregava um sorriso de canto nos lábios. Cumprimentou a todos no recinto, enquanto o fazia vinha se aproximando de mim, o que foi suficiente para que minha face ficasse tão rubra quanto seus lábios.

Eu? Eu fiquei sorrindo como que tentando disfarçar o encabulamento  que só o fato de sua presença me causava. Desviei por várias vezes o olhar, não sabia onde focar, me mantive cabisbaixa, com as mãos trêmulas enquanto por dentro eu pedia, ou  melhor, implorava que partisse logo.
Passado alguns instantes, para meu susto, senti  braços enlaçando minha cintura enquanto um respirar  pacato e quente de mim se aproximava. E aproximou-se mais, e mais...encostou os lábios em minha face.

Todo o silêncio do mundo se manteve, a única coisa que ouvi foi um oi com tom de rouquidão, foi a trilha sonora do momento, a sua voz.
Ali lembrei-me da primeira vez,  minhas pernas tremiam da mesma forma. O frio na barriga,  o nervosismo, o medo , rápido e devagar ao mesmo tempo, tudo me lembrava o primeiro beijo.
Ali nasceu o amor e era grande. Como dizia Carlos ( o Drummond), o amor é grande, mas cabe no breve espaço de beijar.

Poliana Lorena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita e comentário ♥

Postagens Relacionadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...